historias para refletir: O guardião do Mosteiro

imagesBS14BCER“Certo dia, num mosteiro zen-budista, com a morte do guardião, foi preciso encontrar um substituto. O grande Mestre convocou, então, todos os discípulos para descobrir quem seria o novo sentinela.O Mestre, com muita tranquilidade, falou: - Assumirá o posto o monge que conseguir resolver primeiro o problema que eu vou apresentar. Então ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala em que estavam reunidos e sobre ela, pôs um vaso de porcelana muito raro. E disse apenas: – Aqui está o problema! Todos ficaram olhando a cena: o vaso belíssimo, de valor inestimável. O que representaria? O que fazer? Qual o enigma? Nesse instante, um dos discípulos sacou a espada, olhou o Mestre, os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e …ZAPT!… destruiu o vaso com um só golpe. Tão logo o discípulo retornou a seu lugar, o Mestre disse:                                                                                                                       -Parabéns! Você é o novo Guardião do Mosteiro”.

*****************************************************

Não importa que o problema seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado. Um problema é sempre um problema, mesmo que se trate de uma mulher sensacional, um homem maravilhoso ou um grande amor que se acabou. Por mais lindo que seja ou tenha sido, se não existir mais sentido para ele em sua vida, deve ser suprimido. Os orientais dizem: - “Para você beber vinho numa taça cheia de chá, é necessário primeiro jogar o chá para então, beber o vinho“. Ou seja, para aprender o novo, é essencial desaprender o velho. Limpe a sua vida, comece pelas gavetas, armários até chegar ás pessoas e os acontecimentos do passado que não fazem mais sentido estar ocupando espaço em sua mente. Vai ficar mais fácil ser feliz, e lógico, o problema estará resolvido.

O apostolo Paulo de Tarso tinha um problema que o afligia e ele mesmo relatou na sua carta á Timóteo. Mas nem por isso ficou parado. Seguiu em frente e com sua própria força e misericórdia de Deus, não deixou de resolver a questão, sempre enxugava seus joelhos cansados e empunhava sua espada da esperança para cumprir o que deveria ser cumprido – sem medo ou duvida.

“… A mim, que dantes fui blasfemo, perseguidor e injurioso…” – Paulo I Timóteo 1:13 – “Eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus. Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, pois até trabalhei muito mais do que todos eles; aliás, eu não, mas a graça de Deus, que está comigo” - Paulo I Cor 15: 9-10

Chega um momento da vida que é necessário ( e mais interessante ) virar a pagina, porque novas e melhores historias nos esperam nos próximos capítulos!

Pense nisso e boa reflexão!

(maria ramos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>