Vamos falar de compaixão

tumblr_m1mnc8vPka1rnchxso1_500“Imagine passar sua vida inteira em um pequeno quarto com apenas uma janela fechada e tão suja que mal deixe passar a luz. Você provavelmente acharia que o mundo é um lugar bastante obscuro e sombrio, repleto de criaturas de formas estranhas que lançam sombras aterrorizantes no vidro sujo quando passam pelo seu quarto. Mas imagine que um dia você derrame um pouco de água na janela, ou um pouco de chuva escorra pelo vidro depois de uma tempestade e use um trapo ou a manga de sua camisa para enxugar a água. Ao fazer isso, parte da sujeira acumulada no vidro é limpa. Subitamente, um pequeno feixe de luz atravessa o vidro. Curioso, você pode limpar um pouco mais e, à medida que mais sujeira é limpa, mais luz entra no quarto. “Talvez”, você pensa, “o mundo não seja tão escuro e assustador. Talvez seja o vidro”. Você vai até a pia e pega mais água (e talvez mais alguns trapos) e esfrega até que toda a superfície da janela fique livre da sujeira. A luz entra em todo o seu resplendor e você percebe, talvez pela primeira vez, que todas aquelas sombras de formas estranhas que costumavam assustá-lo a cada vez que passavam eram pessoas — exatamente como você! E, das profundezas de sua consciência, surge o desejo instintivo de formar um vínculo social — sair para a rua e estar com essas pessoas. Na verdade, você não mudou absolutamente nada. O mundo, a luz e as pessoas sempre estiveram lá. Você só não conseguia vê-los porque sua visão estava obscurecida. Mas agora você vê tudo, e que enorme diferença isso faz!

É isso que, na tradição budista, chamamos de despertar da compaixão, o despertar de uma capacidade inata de identificar-se com e compreender a experiência dos outros.

A compaixão, em termos tibetanos, é um  sentimento espontâneo de vínculo com todos os seres vivos. O que você sente eu  sinto; o que eu sinto você sente. Não há nenhuma diferença entre nós.

A compaixão é essencialmente o reconhecimento de que todos e tudo são um reflexo de todas as outras pessoas e todas as outras coisas. E com uma simples mudança de perspectiva, você pode não apenas alterar a própria experiência, mas também mudar o mundo.

A única razão pela qual não abrimos nossos corações e mentes para outras pessoas é que eles provocam confusão em nós, e não nos sentimos corajosos o suficiente ou sãos o suficiente para lidar com eles. Na medida em que nós olhamos com clareza e compaixão para nós mesmos, nos sentimos confiantes e destemidos ao olhar nos olhos de outra pessoa.” – texto extraído da pagina http://www.budavirtual.com.br/o-primeiro-estagio-da-compaixao-e-a-empatia/

*****

E você? Como verdadeiramente se enxerga? Qual sentimento habita o teu ser? O apóstolo Pedro em Atos 3:6 diz “não tenho ouro nem prata mas o que tenho te dou…”. Compaixão é muito mais sentimento que matéria. Compaixão é o ato de desprender-se, enxergar no outro o amor contido em nós e soltar, deixar fluir sem comparações, cobranças ou preconceitos. Compaixão é contentamento e para chegar nesse degrau é necessário passar primeiro pelo degrau do auto amor, mas isso é assunto pra outra leitura.

Pense nisso! Namastê.

(maria ramos)

Respire fundo e relaxe…

12011226_881632621924707_3647807280556912213_n

“Respire fundo e relaxe!”

Quantas vezes já ouvimos, repetimos essa frase e respiramos fundo, sem perceber que esse gesto é um dos passos para o auto conhecimento?

Mas ter (ou encontrar) tempo pra se conhecer nos dias frenéticos de hoje, parece um caminho impossível de percorrer. Muitas vezes nos encontramos insatisfeitos com o que conquistamos ou com o que somos. Sempre buscando respostas, vamos cada vez mais nos enchendo de informações sem ao certo saber qual real direção seguir. E é nesse emaranhado de novas descobertas que a meditação – uma técnica milenar que surgiu na Índia há mais de 5.000 anos AC.- nunca esteve tão presente como agora, em pleno século XXI.

Revistas, jornais e todas as mídias da atualidade exploram o tema e  divulgam o termo Mindfulness (técnica criada em 1979 e que quer dizer “consciência e atenção plena”). No livro “A arte de meditar”, Matthieu Ricard nos diz que “As técnicas de meditação visam transformar a mente. Não é necessário atribuir-lhes um rótulo religioso particular. Cada um de nós tem uma mente, cada um pode trabalhar com ela.”
E é verdade! Podemos observar que independente de religião, a pratica da meditação está aberta e espalhada pelos parques das cidades para quem quiser participar. Profissionais da saúde (seja de corpo ou mente) e pesquisas recentes comprovam que a pratica melhora o desenvolvimento no ambiente de trabalho, diminui a insônia, reduz a pressão arterial, enxaqueca, estresse e ansiedade, estimula a criatividade, fortalece o sistema imunológico, aumenta o bem estar e melhora a autoestima. O vídeo disponível no canal do Youtube  “Para começar a meditar”, ministrado pelo mestre e zen budista Lama Padma Samten (CEBBSP), já obteve mais de um milhão de visualizações. A busca por conversas, informações  e assuntos mais saudáveis vai além da alimentação natural sem glúten e sem gordura.

Desde a antiguidade, a meditação é prática importante em todas as tradições espirituais do mundo, desenvolvendo o conhecimento de si mesmo no despertar da consciência. Mas o que antigamente era privilégio somente dos monges ou eremitas, passou a fazer parte da vida de muitas pessoas e se espalhou pelo mundo moderno. Parece que todos correm contra o tempo para conquistar o tão sonhado e necessário equilíbrio do corpo e da mente – “Mens sana in Corpore sano”.

Diante desse quadro, podemos então dizer que muito mais do que novo ou um “modismo”, a meditação é um caminho para encontrar nossa atenção plena, ouvir o nosso  silencio, pois como já escreveu o poeta Manoel de Barros “Só o silêncio faz rumor no voo das borboletas.” E como curiosos que somos, não queremos ficar parados olhando esse fluxo de passos apressados sem cogitar qualquer mudança. Decididos, procuramos qualquer atalho que nos leve a esse caminho o  mais depressa possível.

Mas  calma! Não é necessário pressa, precisamos apenas respeitar o nosso limite e deixar um espaço para ouvir a voz da respiração, no tempo e momento certo, sem culpa ou cobrança. Preste atenção! O nosso corpo fala quando sente necessidade. Saiba ouvir, discernir e se aninhar nesse silencio, porque como diz o mestre zen Padma Santen “O caminho da meditação é o caminho da compreensão e a sua mente já tem esse espaço”

Convido você a mergulhar no silencio dessa pratica milenar. Tente! Você consegue. Respire fundo, relaxe e zazen*.

(maria ramos)

* “za” significa sentar-se; “zen” refere-se a um estado de meditação profunda e sutil.

Um lápis nas mãos de Deus. 10 frases de Madre Teresa para entender sua devoção

“Não sou nada, sou apenas um instrumento, um pequeno lápis nas mãos do Senhor, com o qual Ele escreve aquilo que deseja…”

tumblr_mfr8sya5tJ1s1gf3ho1_1280Nascida em 27 de agosto de 1910 como Anjezë Gonxhe Bojaxhiu, mas conhecida mundialmente como Madre Teresa de Calcutá, ela dedicou sua vida a serviço da caridade e do amor ao próximo, sendo desde o inicio já conhecida como “a santa das sarjetas”. Recebeu o Nobel da Paz em 1979, foi beatificada em 2003 e agora reconhecida pela igreja como “Santa Teresa de Calcutá”. Mas essa Teresa não precisa de títulos, muito menos de premiações ou reverencias, porque os gestos de amor e devoção, muito mais do que palavras, resumem a vida dessa missionária.

Do Tempo que tenho vivido, Madre Teresa sempre foi e será um exemplo de solidariedade. Sua biografia, seus gestos, palavras e orações me fazem seguir  em frente e acreditar que é possível um mundo sem violência e com mais amor. Escolhi 10 dos seus inúmeros sentimentos, para que possamos nos inspirar e conhecer um pouco dos caminhos trilhados por essa mulher e  porque ela chegou até aqui. Nem Madre, nem Santa, simplesmente um lápis nas mãos de Deus que se permitiu escrever…

(maria ramos)

Santa Teresa de Calcutá,   27/08/1910 – 05/09/1997

* “Dê ao mundo o melhor de você. Mas isso pode não ser o bastante. Dê o melhor de você assim mesmo. Veja você que, no final das contas, é tudo entre você e Deus. Nunca foi entre você e os outros.

* Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba. Não ame por admiração, pois um dia você se decepciona. Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação.

* Se você vive julgando as pessoas, não tem tempo para amá-las.

* A oração torna nossos corações transparentes e só um coração transparente pode escutar a Deus.

* Não é o que você faz, mas quanto amor você  dedica no que faz que realmente importa. O importante não é o que se dá, mas o amor com que se dá.

* Não sou nada, sou apenas um instrumento, um pequeno lápis nas mãos do Senhor, com o qual Ele escreve aquilo que deseja. Por mais imperfeitos que sejamos, Ele escreve magnificamente.

* Ontem foi embora. Amanhã ainda não veio. Temos somente hoje, comecemos! Qualquer ato de amor, por menor que seja, é um trabalho pela paz.

* Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota.

* Sorria um para o outro, sorria para a sua esposa, sorria para o seu marido, sorria para os seus filhos, sorria um para o outro – não importa quem seja – e isso ajudará a crescer um amor maior de um pelo outro.

* Meu nome é Teresa, minha religião é o amor e o meu deus é você.”

historias para refletir: Alguem tem que ceder

happyEra uma vez uma ostra semiaberta que tomava sol nas aguas rasas de uma praia quando uma gaivota a fisgou. Logo ela se fechou com força, prendendo o bico da gaivota. E ficaram as duas assim, sem ceder, uma pressionando a outra, numa luta mortal, até que chegou um pescador e apanhou ambas em sua rede. Como naquele dia não tinha o que comer no almoço, o pescador decidiu inovar, preparando um suculento prato de “gaivota ao molho de ostra à pescadora”.

*******************************

A vida não é um cabo de guerra, onde só podemos nos considerar vencedores após ter derrotado – ou vingado – os outros. Há situações em que muitos vezes ceder é indispensável para saber viver – e continuar vivendo. Não gaste sua energia e seu tempo em atitudes que não valem a pena nem o sacrifício, entre ser feliz e ter razão opte pela primeira opção.

Não olhe o outro ou a situação como inimigos, não brigue, aceita, ceda… saiba sacudir o pó de suas sandálias (Atos 13:50-51/ Mateus 10:14) , deixa o tempo seguir seu curso e aproveita pra eliminar orgulho que as vezes insiste em fazer moradia. Isso não é conformismo, é aceitação. Descubra a diferença e saiba ceder.

Pense nisso e boa reflexão!

(maria ramos)

historias para refletir: O vendedor de balões

   “Era uma vez um velho homem que vendia balões numa quermesse.
Evidentemente, o homem era um bom vendedor, pois deixou um balão vermelho soltar-se e elevar-se nos ares, atraindo, desse modo, uma multidão de jovens compradores de balões.
Havia ali perto um menino negro.
Estava observando o vendedor e, é claro apreciando os balões.
Depois de ter soltado o balão vermelho, o homem soltou um azul, depois um amarelo e finalmente um branco. Todos foram subindo até sumirem de vista.
O menino, de olhar atento, seguia a cada um.
Ficava imaginando mil coisas…
Uma coisa o aborrecia, o homem não soltava o balão preto.
Então aproximou-se do vendedor e lhe perguntou:

– Moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os
outros?

O vendedor de balões sorriu compreensivamente para o menino, arrebentou a linha que prendia o balão preto e enquanto ele se elevava nos ares disse:

– Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir.”

*********

É o que cada um tem dentro de si mesmo que o torna único. Uma frase de Nelson Mandela resume essa historia: “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar”.

Portanto não vamos desistir de ensinar, não apenas por palavras ou “hashtags” mas principalmente pelos nossos exemplos de amor ao próximo. É possível arrebentar a linha do preconceito com apenas um ensinamento: “amai-vos”

Pense nisso e boa reflexão!

(maria ramos)

“unamos los corazones, hoy todos somos multicolores…”

O pão sírio de cada dia

inimigos[1]    Quanto tempo ainda resta?

Para  quem acredita em outras vidas assim como eu, diria que “temos todo o tempo do mundo” e posso aqui enumerar o que se pode fazer enquanto se tem tempo nessa vida:

Tempo para perdoar; Tempo para amar; Tempo para aprender; Tempo para estudar etc etc etc… Mas o que dizer sobre o outro lado que aproveita o tempo para vingar, impor, matar, odiar, guerrear?

Sei que a vida é feita de escolhas e cada um está dentro da sua evolução, seja moral, intelectual ou espiritual, mas o fato é que para usar o tempo ninguém precisaria ferir o outro.

Até quando vou assistir o descaso com mais uma guerra civil? Por quantos AYLAN ainda vou ter que chorar sentada no sofá da minha casa? Sim! Porque guerras como a da Síria passam pelo meu tempo num zapping de TV. Fico indignada, choro, critico, e depois vou dormir. Até quando vou criticar um “Estado Islâmico” por sua violência sem criticar meu “Estado de Inércia”?

Já presenciei muitas outras guerras pela TV, já vi muros e estátuas serem derrubadas, já assisti fome, misérias, terremotos… e o que fiz diante dessas imagens?

Parece que grandes tragédias se tornaram compaixões temporárias. A foto do menino Aylan correu as redes sociais e comoveu o mundo, foi motivo de critica, crônicas, pichações em muros, charges e muitos, muitos textos e opiniões, e ainda está em alta. Mas e depois? Para romper o silencio (ou inércia) será preciso aguardar a próxima foto? Quanto tempo dura minha solidariedade? O que tenho ou o que posso fazer? São perguntas que venho fazendo já algum tempo e não encontro respostas concretas. A sensação de impotência me machuca mas ao mesmo tempo não me cala e esse texto é uma expressão viva disso que estou sentindo.

Difícil entender os motivos de uma guerra civil! Todos estão certos e todos estão errados. Difícil aceitar a ideologia de um povo (ou parte dele) que insiste em inverter o significado de um regime Sunita. Como explicar a expressão “guerra santa”??

Sergio Vieira de Mello disse certa vez em um de seus discursos, quando ainda era um enviado da ONU: “Não acredito em choque de civilizações. Acredito em uma única civilização: a civilização humana”. Faço parte dessa civilização, faço parte dos conflitos da Síria, faço parte da dor e do vazio dos refugiados, faço parte do descaso com o Haiti… ou seja, faço parte do mundo. Ainda me incomoda ver tudo isso sentada no sofá sem o “poder” de cessar os horrores de uma guerra, mas tento buscar na serenidade e no silencio do meu ser a minha melhor vibração e espalhar um pouco de amor (ou gentileza) ao próximo, porque como já disse o apóstolo Pedro: “O amor cobre a multidão de pecados”. Tenho absoluta certeza que ainda faço pouco (ou nada), mas enquanto tenho tempo, minha resposta é dar o que tenho. Não critico Angelina Jolie, Bono do U2 ou qualquer outra celebridade da musica, da política, do cinema, porque enquanto temos voz e amor, temos esperança!

“não existe um caminho para paz, a paz é o caminho” – Gandhi

Faça sua parte! Use seu tempo e talento, não importa se filiado a uma campanha humanitária ou simplesmente desabafar em redes sociais. Não importa se no silencio do seu quarto uma oração saia do seu sentimento ou dos acordes do seu violão. A verdade do que sentimos deve estar dentro de nós e o mundo ouve, lê e sente a força e o poder do amor coletivo.

“um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão…”

historias para refletir: O guardião do Mosteiro

imagesBS14BCER“Certo dia, num mosteiro zen-budista, com a morte do guardião, foi preciso encontrar um substituto. O grande Mestre convocou, então, todos os discípulos para descobrir quem seria o novo sentinela.O Mestre, com muita tranquilidade, falou: - Assumirá o posto o monge que conseguir resolver primeiro o problema que eu vou apresentar. Então ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala em que estavam reunidos e sobre ela, pôs um vaso de porcelana muito raro. E disse apenas: – Aqui está o problema! Todos ficaram olhando a cena: o vaso belíssimo, de valor inestimável. O que representaria? O que fazer? Qual o enigma? Nesse instante, um dos discípulos sacou a espada, olhou o Mestre, os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e …ZAPT!… destruiu o vaso com um só golpe. Tão logo o discípulo retornou a seu lugar, o Mestre disse:                                                                                                                       -Parabéns! Você é o novo Guardião do Mosteiro”.

*****************************************************

Não importa que o problema seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado. Um problema é sempre um problema, mesmo que se trate de uma mulher sensacional, um homem maravilhoso ou um grande amor que se acabou. Por mais lindo que seja ou tenha sido, se não existir mais sentido para ele em sua vida, deve ser suprimido. Os orientais dizem: - “Para você beber vinho numa taça cheia de chá, é necessário primeiro jogar o chá para então, beber o vinho“. Ou seja, para aprender o novo, é essencial desaprender o velho. Limpe a sua vida, comece pelas gavetas, armários até chegar ás pessoas e os acontecimentos do passado que não fazem mais sentido estar ocupando espaço em sua mente. Vai ficar mais fácil ser feliz, e lógico, o problema estará resolvido.

O apostolo Paulo de Tarso tinha um problema que o afligia e ele mesmo relatou na sua carta á Timóteo. Mas nem por isso ficou parado. Seguiu em frente e com sua própria força e misericórdia de Deus, não deixou de resolver a questão, sempre enxugava seus joelhos cansados e empunhava sua espada da esperança para cumprir o que deveria ser cumprido – sem medo ou duvida.

“… A mim, que dantes fui blasfemo, perseguidor e injurioso…” – Paulo I Timóteo 1:13 – “Eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus. Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, pois até trabalhei muito mais do que todos eles; aliás, eu não, mas a graça de Deus, que está comigo” - Paulo I Cor 15: 9-10

Chega um momento da vida que é necessário ( e mais interessante ) virar a pagina, porque novas e melhores historias nos esperam nos próximos capítulos!

Pense nisso e boa reflexão!

(maria ramos)

histórias para refletir: Açúcar? Não, obrigado!

tumblr_l2ywkcNSQd1qzvsqto1_400111[1]A mãe levou seu filho ao Mahatma Gandhi e implorou: “Por favor, Mahatma, meu filho anda comendo muito açúcar. Peça à ele para não comer muito açúcar, pois faz mal à saúde”.
Gandhi, depois de uma pausa, pediu: “Traga seu filho daqui há duas semanas”.
Duas semanas depois, ela voltou com o filho. Gandhi olhou bem fundo nos olhos do garoto e disse: “Meu menino! Não coma muito açúcar, pois faz mal à saúde”.
Agradecida – mas perplexa – a mulher perguntou: “Por que me pediu duas semanas? Podia ter dito a mesma coisa antes!”
E Gandhi respondeu: “Há duas semanas, eu também estava comendo muito açúcar. Não posso exigir dos outros aquilo que não pratico”

********

Uma simples história que por se tratar de Gandhi deve ser real, mas não menos reflexiva! E também não precisa de grandes explicações. Muitas vezes por sermos acadêmicos, famosos, pós graduados ou simplesmente experientes em certos assuntos, achamos que somos os donos da verdade e podemos dar conselhos. Sem perceber que em primeiro lugar não há verdade absoluta e em segundo, que todos nós estamos no mesmo barco de constante navegação no que diz respeito ao auto aperfeiçoamento moral (ou reforma intima).

Não vamos exigir dos outros aquilo que ainda não exigimos de nós. Nossas atitudes geram exemplos! Existe uma frase que gosto muito e ouvia sempre um professor repetir em suas aulas de filosofia espiritual: “- Você pratica o que prega ou somente prega com prática?”

“Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim…” – Isaías 29:13/ Mateus 15:8

Pense nisso e boa reflexão!

(maria ramos)

historias para refletir: A rosa amarela

rosa amarela  “Esta é uma lenda sobre a flor amarela num jardim. Ela floresce uma vez só por ano então murcha e cai.Quando um visitante entrou no jardim, ouviu reclamações de todos os lados. A mangueira manifestou então sua intenção de ser uma palmeira.-— Por que? —- Perguntou o visitante. —- Porque a árvore toda é útil – o fruto, as folhas, os galhos e até o tronco, enquanto em mim, mangueirasomente só o meu fruto é de utilidade. A palmeira invejava a mangueira por ter seus frutos exportados.Todas as plantas tinham inveja umas das outras. O visitante escutou todas as reclamações, até que avistou a pequena flor amarela. — Por que você não está reclamando como as outras plantas? — A flor então respondeu: Eu costumava a olhar para o coqueiro e invejava suas folhas ao vento. Tinha o desejo de produzir frutos suculentos como as mangas. Então pensei; se Deus quisesse que eu fosse como a mangueira e a palmeira, ele teria me criado igual a elas. Mas sabe por que Deus me fez uma flor amarela? Porque ele queria que eu fosse exatamente uma flor. Então, o que eu posso fazer é ser a melhor flor amarela.”

****************************************

Já paramos pra pensar como estamos quase sempre negando nossa aparência? Que vivemos num mundo comparativo com estrelas de TV e astros de cinema? Sem perceber que fomos criados perfeitos dentro do que nos foi concedido de direito e merecimento? Não falo aqui que não devemos cuidar de nossa aparência ou de nosso corpo (saúde), falo de um cuidado comedido sem escravidão. Ao invés de invejar a joia do vizinho porque não olhar nossos tesouros internos? Difícil de enxergar? Então é hora de buscar a passagem no evangelho para refletir :

“vós sois deuses”  – Jesus – João 10:34

Se Ele nos criou assim como somos é exatamente assim que ele conta com o nosso trabalho. Sempre existirá um proposito. Se o cabelo é crespo, se  a pele é negra, se é alto, baixo, gordo, magro, usa óculos… não importa a imagem física nem mesmo os títulos profissionais,  sejamos melhores. Para os outros? Não. Para nós mesmos. Por saber que se Deus nos fez assim, existe um porque e cabe a nós descobrir a resposta. Cuidar do nosso corpo, da nossa aparência, buscar sempre melhorar mas acima de tudo cuidar, valorizar e enxergar nosso talento! Ele existe, só está adormecido. Buda já nos ensinou : “olhe para fora e sonhe, olhe para dentro e desperte”. Somos  únicos, verdadeiros e simplesmente uma “rosa amarela”. Um bouquet de rosas é chique e caro, mas uma única rosa também perfuma. Descubra, desvende e se encante com a beleza que há em você! Porque “vós sois o templo de deus vivo”  – Paulo – I Cor.3:16

Pense nisso e boa reflexão!

(maria ramos)

historias para refletir: Flor de Lotus

“Um  mestre reuniu seus discípulos, e mostrou uma flor de lótus – símbolo da pureza, porque cresce imaculada em águas pantanosas.
– Quero que me digam algo sobre isto que tenho nas mãos – perguntou o Mestre.
O primeiro fez um verdadeiro tratado sobre a importância das flores.
O segundo compôs uma linda poesia sobre suas pétalas.
O terceiro inventou uma parábola usando a flor como exemplo.
Chegou a vez do quarto discípulo. Este aproximou-se do Mestre, sentiu o perfume da flor e acariciou suavemente suas pétalas.
– É só uma flor de lótus senhor. Simples, delicada e bela.

Foi então que o Mestre respondeu:
– Você foi o único que viu realmente o que eu tinha nas mãos”

*********************************

No sermão da montanha (Mateus cap.5),  Jesus resume a historia de hoje quando diz “bem aventurados os simples…”

msn_250[1]       Por que complicar ou dificultar o simples? Aceitar o que é obvio sem complicar, é uma forma de encontrar respostas para as perguntas da vida com mais naturalidade e verdade.

Não é a vida que passa, somos nós que passamos pela vida. E seria de grande importância se nosso olhar diante dela fosse mais generoso. Hoje nos tornamos reféns da era “gourmet”, complicamos tanto a simplicidade que o sabor do velho e bom feijão com arroz chega perder sua origem. Hoje uma simples cor branca virou  off white, o bege virou nude, fazer novos contatos com pessoas virou networking, comida de rua virou food truck, o caipira virou country  e por aí vai.. vamos perdendo nossa essência complicando o simples achando assim que nos tornamos fashion ( ops! quero dizer por dentro da moda )… acho que precisamos “desgourmetizar”… enquanto complicamos,  esquecemos de saborear o melhor pedaço da vida, de se encantar com um por do sol, de apreciar as flores da primavera, de beber aquele cafezinho coado na hora ( com coador de pano ) por nossa avó lá da cidadezinha do interior e entre uma historia e outra comer um cupcake ( ops! um pedaço do bolinho de laranja que ela preparou no seu cooktop, ops! quero dizer fogão de 4 bocas). Gestos simples, paisagens simples, coisas simples tão presentes em nosso cotidiano e tão necessários para nossa calma.

O que tenho para oferecer hoje não é um novo “post”! Quem sabe não é uma nova redação ou um novo ditado?rsrs Uns rabiscos que invento para desvendar as palavras simples de Jesus que tem tanto fundamento … “bem aventurados os simples….”  e ainda completando com mais um ensinamento Dele quando diz à Marta: “Marta, Marta, uma só coisa é necessária e Maria escolheu a boa parte…” (Lucas 10:41-42). Simples assim.

Pense nisso e boa reflexão!

(maria ramos)